Vol. 2 (2021)
Artículos

Elementos para una teoría del proceso estructural aplicado al proceso civil brasileño

Publicado 2021-10-21

Palabras clave

  • problema estructural,
  • proceso estructural,
  • concepto,
  • características,
  • procedimiento

Cómo citar

Didier Jr., F., Zaneti Jr., H., & Alexandria de Oliveira, R. . (2021). Elementos para una teoría del proceso estructural aplicado al proceso civil brasileño. Revista Ítalo-española De Derecho Procesal, 2, 89–124. https://doi.org/10.37417/rivitsproc/697

Resumen

En el presente artículo se expone los conceptos del problema estructural, proceso estructural y decisión estructural como un desarrollo de la teoría de los procesos estructurales (structural injunctions), propone una clasificación de las características esenciales y de las características típicas que no son esenciales, del proceso estructural, y trata de su procedimiento, con la propuesta de aplicación del procedimiento común, previsto en el Código de Proceso Civil de 2015.

Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.

Citas

  1. ARENHART, Sérgio Cruz. “A prova estatística e sua utilidade em litígios complexos”. Revista Direito e Práxis. Rio de Janeiro, vol. 10, n. 1, 2019.
  2. —. “Decisões estruturais no direito processual civil brasileiro”. Revista de Processo. São Paulo: RT, 2013, ano 38, v. 225
  3. —. “Processos estruturais no direito brasileiro: reflexões a partir do caso da ACP do carvão”. Revista de Processo Comparado. São Paulo: RT, jul/dez, 2015, n. 2, versão eletrônica.
  4. —. “Processo multipolar, participação e representação de interesses concorrentes”. Processos estruturais. Sérgio Cruz Arenhart e Marco Félix Jobim (org). 2 ed. Salvador: Juspodivm, 2019.
  5. ASSIS, Araken de. Cumprimento da sentença. Rio de Janeiro: Forense, 2006.
  6. BATISTA, Felipe Vieira. A recuperação judicial como processo coletivo. Dissertação de Mestrado. Salvador: Universidade Federal da Bahia (UFBA), 2017.
  7. CABRAL, Antonio do Passo. Coisa julgada e preclusões dinâmicas. 2ª ed. Salvador: Editora Juspodivm, 2013.
  8. CABRAL, Antonio; ZANETI JR., Hermes. “Entidades de infraestrutura específica para a resolução de conflitos coletivos: as claims resolution facilities e sua aplicabilidade no Brasil”. Revista de Processo. São Paulo: RT, 2019, v. 287.
  9. COSTA, Eduardo José da Fonseca. «A “execução negociada” de políticas públicas em juízo». Revista de Processo. São Paulo: RT, ano 37, v. 212, outubro/2012.
  10. DIDIER JR., Fredie; CABRAL, Antonio do Passo; CUNHA, Leonardo Carneiro da. Por uma nova teoria dos procedimentos especiais. Salvador: Juspodivm, 2018.
  11. DIDIER JR., Fredie; ZANETI JR., Hermes. «Comentários ao art. 333 do CPC-2015». Breves comentários ao novo Código de Processo Civil. Teresa Arruda Alvim Wambier, Fredie Didier Jr., Eduardo Talamini e Bruno Dantas (coord). 3 ed. São Paulo: RT, 2016.
  12. —. “Conceito de processo jurisdicional coletivo”. Revista de Processo. São Paulo: RT, 2014, v. 229.
  13. DIDIER JR., Fredie; ZANETI JR., Hermes; OLIVEIRA, Rafael Alexandria de. “Notas sobre as decisões estruturantes”. Processos estruturais. Sérgio Cruz Arenhart e Marco Félix Jobim (org). 2 ed. Salvador: Juspodivm, 2019.
  14. DINAMARCO, Cândido Rangel. «Instituições de Direito Processual Civil». São Paulo: Malheiros Ed., 2004, t. 4.
  15. FERRARO, Marcella Pereira. Do processo bipolar a um processo coletivo-estrutural. Dissertação de Mestrado. Curitiba: Universidade Federal do Paraná (UFPR), 2015.
  16. FISS, Owen. “Two models of adjudication”. In: Didier JR. Fredie, Jordão, Eduardo Ferreira (coord.). Teoria do processo: panorama doutrinário mundial. Salvador: Juspodivm, 2008.
  17. GALDINO, Matheus Souza. “Breves reflexões sobre as consequências de uma compreensão teleológica dos fatos para a teoria do processo estrutural”. Processos estruturais. Sérgio Cruz Arenhart e Marco Félix Jobim (org). 2 ed. Salvador: Juspodivm, 2019.
  18. — Elementos para uma compreensão tipológica dos processos estruturais. Dissertação de Mestrado. Salvador: Universidade Federal da Bahia (UFBA), 2019.
  19. GRINOVER, Ada Pellegrini. “Seoul Conference 2014 – Constitution and proceedings – The Judiciary as an Organ of Policital Control”. Revista de Processo. São Paulo: RT, 2015, v. 249.
  20. JOBIM, Marco Felix. “A previsão das medidas estruturantes no artigo 139, IV, do novo Código de Processo Civil brasileiro”. Repercussões do novo CPC – processo coletivo. Hermes Zaneti Jr. (coord.). Salvador: Editora Juspodivm, 2016.
  21. —. Medidas estruturantes: da Suprema Corte Estadunidense ao Supremo Tribunal Federal. Porto Alegre: Livraria do Advogado Editora, 2013.
  22. LAMÊGO, Gustavo. Técnicas de cooperação judiciária aplicadas a processos estruturais. Monografia de conclusão de curso de graduação em Direito. Salvador: Univerdade Federal da Bahia (UFBA), 2019.
  23. LIMA, Edilson Vitorelli Diniz. O devido processo legal coletivo: representação, participação e efetividade da tutela jurisdicional. Tese de doutorado apresentada à Faculdade de Direito da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Curitiba, 2015.
  24. —. “Tipologia dos litígios transindividuais: um novo ponto de partida para a tutela coletiva”. Repercussões do novo CPC – processo coletivo. Hermes Zaneti Jr. (coord.). Salvador: Editora Jus Podivm, 2015.
  25. MARÇAL, Felipe Barreto. “Repensando os mecanismos de ampliação do contraditório”. Tecnologia jurídica & Direito digital: II Congresso Internacional de Direito, Governo e Tecnologia. Ricardo Vieira de Carvalho Fernandes e Angelo Gamba Prata de Carvalho (coord). Belo Horizonte: Fórum, 2018.
  26. SARAIVA, Carolina Barros. “Condução dialógica dos processos estruturais no Supremo Tribunal Federal”. Processos estruturais. Sérgio Cruz Arenhart e Marco Félix Jobim (org). 2 ed. Salvador: Juspodivm, 2019.
  27. TEMER, Sofia Orberg. Participação no processo judicial: arranjos subjetivos e modalidades de atuação. Tese de doutorado. Rio de Janeiro: Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), 2020.
  28. TOSTA, André Ribeiro; MARÇAL, Felipe Barreto. “Gerenciamento processual adequado de demandas formalmente individuais a partir de uma visão estruturante: o reforço proporcionado pelo art. 21 da LINDB”. Processos estruturais. Sérgio Cruz Arenhart e Marco Félix Jobim (org). 2 ed. Salvador: Juspodivm, 2019.
  29. VIOLIN, Jordão. «Holt v. Sarver e a reforma do sistema prisional no Arkansas». Processos estruturais. Sérgio Cruz Arenhart e Marco Félix Jobim (org). 2 ed. Salvador: Juspodivm, 2019.
  30. VITORELLI, Edilson. “Levando os conceitos a sério: processo estrutural, processo coletivo, processo estratégico e suas diferenças”. Revista de Processo. São Paulo: Thomson Reuters, outubro/2018, v. 284, p. 333-369.
  31. —. “Litígios estruturais: decisão e implementação de mudanças socialmente relevantes pela via processual”. Processos estruturais. Sérgio Cruz Arenhart e Marco Félix Jobim (org). 2 ed. Salvador: Juspodivm, 2019.
  32. —. O devido processo legal coletivo: dos direitos aos litígios coletivos. 2 ed. São Paulo: Thomson Reuters Brasil, 2019.
  33. WATANABE, Kazuo. «Relação entre demanda coletiva e demandas individuais». Revista de Processo. São Paulo: RT, 2006, v. 139.